Pages

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Carnaval

Hoje entrei no clima do carnaval!!!!!
Vim pro trabalho escutando Banda Eva aos berros no carro.
Salvador aí vou eu.....

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Big Brother 8

Eu sempre acompanhei o Big Brother.
Não sou nenhuma super fã do programa, mas gosto de assistir. Não é o melhor programa da TV, mas distrai.
Esse atual programa eu não estou conseguindo assistir, cansei.
Eu só falto morrer quando vejo aquele povo dizendo que o sonho da vida era participar do programa ou que a melhor coisa que aconteceu na vida deles foi estar no BBB ou ainda que nunca mais quer sair de lá.
Aí eu pergunto: COMO O SONHO DA VIDA DE ALGUÉM PODE SER PARTICIPAR DAQUELE PROGRAMA? COMO ISSO PODE SER A MELHOR COISA QUE ACONTECEU NA VIDA DE ALGUÉM?
Sabe o que eu não me conformo??? Não me conformo com a valorização dessas pessoas de cabeça oca que tem como sonho de vida ir para o BBB e pousar na playboy.
O que vcs acham????

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Mais um da "Mestre" Danuza... Eu me rendo!

Eu me rendo!
(Danuza Leão)

Quantas mentiras nos contaram; foram tantas, que a gente bem cedo começa a acreditar e, ainda por cima, a se achar culpada por ser burra, incompetente e sem condições de fazer da vida uma sucessão de vitórias e felicidades.
Uma das mentiras: É a que nós, mulheres, podemos conciliar perfeitamente as funções de mãe, esposa, companheira e amante, e ainda por cima ter uma carreira profissional brilhante.
É muito simples: não podemos.
Não podemos; quando você se dedica de corpo e alma a seu filho recém-nascido, que na hora certa de mamar dorme e que à noite, quando devia estar dormindo, chora com fome, não consegue estar bem sexy quando o marido chega, para cumprir um dos papéis considerados
obrigatórios na trajetória de uma mulher moderna: a de amante.
Aliás, nem a de companheira; quem vai conseguir trocar uma idéia sobre a
poluição da Baía de Guanabara se saiu do trabalho e passou no supermercado rapidinho para comprar uma massa e um molho já pronto para resolver o jantar, e ainda por cima está deprimida porque não teve tempo de fazer uma escova?
Mas as revistas femininas estão aí, querendo convencer as mulheres - e os maridos - de que um peixinho com ervas no forno com uma batatinha cozida al dente, acompanhado por uma salada e um vinhozinho branco é facílimo de fazer - sem esquecer as flores e as velas acesas, claro, e com isso o casamento continuar tendo aquele toque de glamour fun-da-men-tal para que dure por muitos e muitos anos.
Ah, quanta mentira!
Outra grande, diz respeito à mulher que trabalha; não a que faz de conta que trabalha, mas a que trabalha mesmo. No começo, ela até tenta se vestir no capricho, usar sapato de salto e estar sempre maquiada; mas cedo se vão as ilusões. Entre em qualquer local de trabalho pelas 4 da tarde e vai ver um bando de mulheres maltratadas, com o cabelo horrendo, a cara lavada, e sem um pingo do glamour - aquele - das executivas da Madison.
Dizem que o trabalho enobrece, o que pode até ser verdade. Mas ele também envelhece, destrói e enruga a pele, e quando se percebe a guerra já está perdida.
Não adianta: uma mulher glamourosa e pronta a fazer todos os charmes - aqueles que enlouquecem os homens - precisa, fundamentalmente, de duas coisas: tempo e dinheiro.
Tempo para hidratar os cabelos, lembrar de tomar seus 37 radicais livres, tempo para ir à hidroginástica, para ter uma massagista tailandesa e um acupunturista que a relaxe; tempo para fazer musculação, alongamento, comprar uma sandália nova para o verão, fazer as unhas, depilação; e dinheiro para tudo isso e ainda para pagar uma excelente empregada - o que também custa dinheiro.
É muito interessante a imagem da mulher que depois do expediente vai ao toalete - um toalete cuja luz é insuportavelmente branca e fria, retoca a maquiagem, coloca os brincos, põe a meia preta que está na bolsa desde de manhã e vai, alegremente, para uma happy hour.
Aliás, se as empresas trocassem a iluminação de seus elevadores e de seus banheiros por lâmpadas âmbar, os índices de produtividade iriam ao infinito; não há auto-estima feminina que resista quando elas se olham nos espelhos desses recintos.
Felizes são as mulheres que têm cinco minutos - só cinco - para decidir a roupa que vão usar no trabalho; na luta contra o relógio o uniforme termina sendo preto ou bege, para que tudo combine sem que um só minuto seja perdido.
Mas tem as outras, com filhos já crescidos: essas, quando chegam em casa, têm que conversar com as crianças, perguntar como foi o dia na escola, procurar entender por que elas estão agressivas, por que o rendimento escolar está baixo.
E ainda tem as outras que, com ou sem filhos, ainda têm um namorado que apronta, e sem o qual elas acham que não conseguem viver . Segundo um conhecedor da alma humana, só existem três coisas sem as quais não se pode viver: ar, água e pão.
Convenhamos que é difícil ser uma mulher de verdade; impossível, eu
diria.
Parabéns para quem consegue fingir tudo isso....

domingo, 27 de janeiro de 2008

Amigo homem

Eu nunca tinha tido um amigo homem.

Sempre fui muito tímida para me relacionar com os meninos, até que em 2001 entrei numa empresa através de um programa trainee. Junto comigo entrou uma galera mais ou menos da mesma idade e todos recém-formados como eu.

A empresa ficava na zona sul e um pessoal que morava num mesmo bairro, um pouco distante, fez um grupo de carona. Como eu morava no mesmo bairro dessa galera, logo logo me juntei ao grupo.

Todo dia íamos eu, Márcio, André e Daniel rumo ao trabalho no início do dia e de volta pra casa nos fins de tarde. Alguns meses depois Celso se juntou a nós. Ir e voltar do trabalho se tornou uma diversão sem igual. Através dessas idas e vindas eu comecei a descobrir um pouco do mundo deles. Eles me ensinaram a beber e viviam dizendo que eu tinha que ser menos travada.

Quanta história eu escutei ao londo desse tempo...

No início rolava até um certo pudor em falar certas coisas na minha presença, mas depois também virei menino.

Foi uma experiência muito legal!!

Até hoje essas figuras estão por perto, exceto o Dani, e são amigos SUPER queridos.

A esses amigos eu só tenho a agradecer por eles terem entrado na minha vida e me ensinado a beber sangria e ser menos travada rs rs rs rs

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Relações humanas no trabalho

Um ótimo texto do SEMPRE ótimo e sábio Max Gehringer

O sucesso consiste em não fazer inimigos

Nas relações humanas no trabalho, existem apenas 3regras.

Regra número 1: colegas passam, mas inimigos são para sempre. A chance de uma pessoa se lembrar de umfavor que você fez a ela vai diminuindo à taxa de 20% ao ano. Cinco anos depois, o favor será esquecido. Não adianta mais cobrar. Mas a chance de alguém se lembrar de uma desfeita se mantém estável, não importa quanto tempo passe. Exemplo: se você estendeu a mão para cumprimentar alguém em 1997 e a pessoa ignorou sua mão estendida, você ainda se lembra disso em 2007.

Regra número 2:A importância de um favor diminui com o tempo, enquanto a importância de uma desfeitaaumenta. Favor é como um investimento de curto prazo. Desfeita é como um empréstimo de longo prazo.Um dia, ele será cobrado, e com juros.

Regra número 3:Um colega não é um amigo. Colega é aquela pessoa que, durante algum tempo, parece umamigo. Muitas vezes, até parece o melhor amigo. Mas isso só dura até um dos dois mudar de emprego.Amigo é aquela pessoa que liga para perguntar se você está precisando de alguma coisa. Ex-colega queparecia amigo é aquela pessoa que você liga para pedir alguma coisa, e ela manda dizer que no momentonão pode atender.Durante sua carreira, uma pessoa normal terá a impressão de que fez um milhão de amigos e apenasmeia dúzia de inimigos.

Estatisticamente, isso parece ótimo, mas não é. A 'Lei da Perversidade Profissional' diz que, no futuro, quando você precisar de ajuda, é provável que quem mais poderá ajudá-lo é exatamente um daqueles poucos inimigos.Portanto, profissionalmente falando, e pensando a longo prazo, o sucesso consiste, principalmente, emevitar fazer inimigos. Porque, por uma infeliz coincidência biológica, os poucos inimigos são exatamente aqueles que tem boa memória.
Max Gehringer, colunista da revista Época.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

História engraçada

Hoje lendo o ABOUT ME de um outro blog (uma dose de clichê) acabei me lembrando de uma situação hilária que aconteceu no ano novo.
Passamos o ano novo em Búzios. Um dia à noite fomos para o BAR ANEXO, estávamos numa mesa na varanda do bar que estava super cheio e como a nossa mesa era grande entrávamos de grupo em grupo para dar uma dançada.
Num determinado momento eu e Camila entramos para encontrar o irmão da Camila que estava lá dentro com mais um amigo. Eles conversavam com um casal de Goiânia. Na mesma hora o casal (super simpático) veio conversar com a gente. Primeiro veio o cara, ele já sabia metade da vida da Camila e sabia que a gente era solteira. Aí vem a parte engraçada da história. Ele perguntou se a gente realmente estava sozinha e aí na mesma hora disse que em Goiânia isso seria impossível. Eu conseguiria fácil um cara com 30mil cabeças de boi e pasto próprio e Camila 50 mil cabeças de boi com pasto alugado.
Dá para acreditar num papo desses???? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Fora isso o casal era muuuito legal e simpático.

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Entre uma decepção e outra...

Segue abaixo um texto enviado por nossa amiga e colaboradora Renata.
Rê valeu pela contribuição, adorei o texto.
Sempre que quiser contribuir é só falar, aliás quem quiser contribuir por favor sintam-se à vontade.

Entre uma decepção e outra, que tal uma pausa para aprender?

Por Rosana Braga
http://www.rosanabraga.com.br/

Tem época na vida da gente que parece que os encontros que deveriam ser uma oportunidade de se sentir satisfeito e feliz são mais uma afronta ao nosso coração. Assim, vamos contabilizando decepções e desacreditando na possibilidade de viver uma experiência positiva e motivadora.

Quando isso acontece, creio que o melhor seja parar. Uma pausa para aprender. Ou melhor, antes apreender. Perceber o que está acontecendo, quais são nossos verdadeiros desejos e quais têm sido nossas atitudes para torná-los concretos.

Muitas vezes, fazendo uma análise mais justa e desapegada, sem assumir o papel de vítima das armadilhas da vida ou da sacanagem dos outros, e nem o de culpado, como se tudo o que fizéssemos estivesse definitivamente errado, terminamos descobrindo que há alguma incoerência nisso tudo.

Só que para tanto, precisamos de tempo... e principalmente de coragem para admitir limitações, assumir pensamentos negativos e confiar mais na sabedoria da vida e em seu ritmo. O que acontece, no entanto, é que a maioria de nós não quer esperar, não quer refletir. Tem apenas um único pensamento que alimentamos o tempo todo: quero namorar, quero ter alguém!!!

Será que estar com alguém é o mesmo que estar feliz? Pode ser que sim, mas pode ser que não; e se por qualquer motivo você não tem ficado com quem deseja, talvez seja o momento ideal para um intervalo, tão útil entre uma decepção e outra...

Tempo de se observar, de observar as pessoas e ouvir o que elas dizem. Tempo de aprender, crescer, ter uma nova conduta, desenvolver uma nova postura. Aguardar até que a vida lhe mostre qual é o melhor caminho a seguir.

Mas para ver, você precisa estar atento, sem tanta ansiedade, sem tanto desespero para tentar fazer com que as coisas aconteçam do jeito e na hora que você quer...

E se nenhuma resposta vier, talvez você precise ver e ouvir com o coração. Respeitar o silêncio. Aceitar a ausência de quem você tanto deseja encontrar... Talvez não haja uma resposta e nem haja uma explicação.

Às vezes, simplesmente não existem respostas nem explicação. Apenas a vida. Apenas as pessoas. Apenas o mundo. Apenas a dor e o amor. E se insistirmos em não aceitar, em brigar, em nos rebelar, em nos revoltar... conseguiremos tão somente mais dor... e menos amor.

Aceite que você não tem o controle, que você não pode decidir sozinho, que o universo tem seu próprio ritmo. Faça o que está ao seu alcance; faça a sua parte... e bem feito; da melhor maneira que puder.

E o que não puder, entregue e espere... porque embora diga sabiamente a música de Geraldo Vandré (Pra não dizer que não falei das flores) “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”, tem ocasiões nesta vida em que ‘quem sabe, espera acontecer e respeita a hora de não fazer’... até que um dia, o amor de repente acontece... porque seu coração estava exatamente onde deveria para ser encontrado!

Rosana Braga
Escritora e Consultora em Relacionamentos. Palestrante na área de Desenvolvimento Profissional e Relacionamentos Interpessoais

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Gordura contagia?

Pesquisadores de Harvard dizem que sim! Segundo eles...

... 57% é em quanto aumentam as suas chances de engordar quando você tem um amigo obeso do mesmo sexo;

... 40%: se os seus pais ou irmão são gordinhos, suas chances de se tornar obeso aumentam nesta porcentagem;

... 37% é em quanto aumentam as suas chances de se tornar obeso se o seu marido tem alguns quilos extras.

Leia a pesquisa completa.

A pesquisa não é super atual, mas acho que a reflexão sobre o assunto é sempre pertinente - principalmente no período pós festas (onde as pessoas costumam exagerar um pouquinho na dose em função das vastas comemorações).

Não acho que o assunto deva ser levado ao pé da letra, mas acredito que de fato, hábitos alimentares podem ser alterados em função de momentos de vida e grupos com os quais nos envolvemos.

E por favor, não me interpretem mal! Isso não é um apartheid aos gordinhos, mas sim um estímulo a sermos nós mesmos e mantermos nossos (bons) hábitos, independente do meio que vivemos.

Inté!

Monobloco de camarote com bebida liberada! Quer mais???


video

Só pra encerrar de uma vez esse assunto...

Na verdade acho que não vale dar muito cartaz para coisas ruins, mas preciso complementar o que a Dani disse – porque é o tipo de coisa que fica realmente engasgada, difícil de digerir sozinha.

A muito tempo não sentia medo... sábado senti.
Num momento como esse, minhas reações são as piores possíveis. Isso certamente é algo que preciso trabalhar melhor – pois não quero me “dar mal” por causa de um relógio ou de um celular.
Mas o fato é que entrei em pânico quando o ladrãozinho de meia tigela ordenou que eu desse a máquina fotográfica da Dani que estava na minha mão. É difícil processar e admitir que você está em uma situação completamente vulnerável. Só entreguei a câmera quando a Dani gritou que eu tinha que entregar, ou seja, obedeci a Dani, mas não obedeci o ladrão (péssima idéia – diga-se de passagem).

No fim das contas, fiquei tão desorientada, que posso ter dado a “sorte” de não ter perdido o relógio ou o celular. Mas posso afirmar que perdi (e acho que falo pela Dani e pela Daise também) algo mais valioso que bens materiais – perdi mais um pedacinho de esperança de que um dia teremos um Rio de Janeiro mais seguro...

Inté!

sábado, 19 de janeiro de 2008

E ainda por cima estou MUDA.
Sabe o que é ficar incomunicável para uma pessoa que trabalha com celular?????
Só em pensar que vou ter que ficar sem minha linha ativa provavelmente até segunda me dá mais raiva ainda.

Roubada

Poucas vezes na vida eu senti ódio.

Detesto esse sentimento. Acho muito forte sentir ódio. Sou totalmente da paz, mas hoje foi inevitável.

Hoje começaram os desfiles dos blocos de carnaval aqui no RJ. Decidimos ir para o badalado Espanta Nenén que saiu na Lagoa.

Deixamos o carro numa rua trans versal a Garcia D'avila e descemos a Garcia para pegar a Lagoa. Assim que saimos do carro começou a chover. Uns pingos de chuva enormes. Demos uma parada de baixo de uma marquize de um prédio na Garcia, quando de repente vem um motoqueiro e faz a limpa.

Perdi minha máquina fotográfica de 2 meses e meu celular também recém comprado, a Deise perdeu o celular e um relógio e a Camila deu a "sorte" de não perder nada.

Assim que os caras foram embora ficamos meio desnorteadas e fomos andando em direção a Lagoa para tentar achar um polícial. Doce ilusão. Nenhuma polícia.

A chuva aumentou e paramos naquele posto Texaco que tem ali na Lagoa pro lado de Ipanema. De repente uma multidão veio para o posto e a chuva apertou D+. Praticamente um tufão passou por lá. Eu nunca vi tanto vento, fiquei morrendo de medo, achei que algo sério podia acontecer com a gente. Tudo voava.

Meia hora depois o tufão passou e a chuva começou a melhorar. A essa altura o bloco já tinha acabado e demos mais um tempo e fomos embora.

Conclusão: fomos a Ipanema para ser assaltadas.

E essa semana nosso execelentíssimo governado disse que ia proibir a garupa na moto. Realmente essa será a medida IDEAL para acabar com esse tipo de assalto.

Estamos entregues as moscas!!!!

Me dá ódio de viver num lugar onde eu não posso ir e vir.

E o pior de tudo é ainda ter que escutar de uns e outros que EU que dei mole.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Sorte

Hoje rolou mais um sorteio lá no trabalho e não é que a sortuda aqui ganhou novamente !!!!
Dessa vez é...
M
O
N
O
B
L
O
C
O
Que beleza
Uh é Monobloco

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Falando em carnaval...

Eu sempre amei carnaval.
Desde garotinha me acabava nos bailes.
Os primeiros foram em Itaipuaçu (saudades da minha infância naquela terra), depois vieram os de Saquarema com minha amiga Scarlate e depois os da Bahia.
Meu primeiro carnaval em terras baianas foi em Porto Seguro no ano de 1999. Eu e mais duas amigas rumamos de ônibus para Porto.
No ano seguinte rumei novamente de ônibus para Arraial d’ajuda com outro grupo de amigos. Esse carnaval foi muito divertido. Sofremos com a viagem de ida que durou 24hs e nos fez suar bastante. O calor era infernal. O trauma foi tão grande que na volta nos metemos numa lista de espera e voltamos voando.
Em 2000 finalmente conheci o carnaval de Salvador com meus queridos amigos Elayne e Ramon. Esse sem dúvida foi o melhor carnaval da minha vida. Acabei-me ao som de Durvalino e seus hits. Pulei durante 3 dias durante 9/10 horas nas ruas do circuito do Campo Grande.
No ano seguinte tentei reviver aquele carnaval inesquecível, mas minha querida amiga Deise me deixou na mão por causa de um namoro que estava começando.
Em 2003 passei novamente por Salvador, mais dessa vez eu estava indo para uma excursão de 7 dias na Chapada Diamantina (RECOMENDO ESSE PASSEIO)com Camilinha e Karen. Era uma época de vacas muito magras, então não sobrou dinheiro para os trios de Salvador. Assisti ao carnaval numa espécie de camarote improvisado no Campo Grande e no último dia fui para a Trivela do Asa no Clube Espanhol.
Nos anos seguintes assisti ao carnaval de Salvador através da TV. Cada flash que eu via na Band me doía o coração.
Ano passado, já solteira, pensei em ir pra terrinha, mas optei em abrir mão do carnaval por uma boa causa.
Finalmente esse ano eu retorno ao carnaval de salvador com duas amigas – Camila e Deise (aquela mesmo que me deixou na mão em 2001).
Estou na contagem regressiva.
Adoro D+ aquela cidade, seus trios elétricos e aquela gente. Não vejo à hora de comer o acarajé da Regina e de ver Durvalino no trio cantando a dança do vampiro e outras mais.
Então que chegue mais um carnaval em Salvador....

Programação dos blocos de rua do Rio de Janeiro

Carnaval já começou... e se você quer cair na folia (ou desviar dela) é melhor conhecer quando e onde saem os principais blocos que desfilam pelo Rio nesse período.

Inté!

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

E por falar em viagens...

... Não tem nada no mundo que eu goste mais do que viajar!!! Como diz meu amigo (que anda sumido) Mazon: “Trabalho para tirar férias!”
Acho que é mais ou menos por aí... Pelo menos enquanto não tenho (não que eu não queira ter) planos familiares – porque estes sim, envolvem despesas muito maiores do que as que eu já tenho hoje em dia (por incrível que isso possa parecer! Rs) – trabalho com esta finalidade!
E diferente da Dani, nunca tive nenhuma neura de viajar sozinha. Não que tenha preferência por essa categoria – acho inclusive que uma viagem de férias tende a ficar mais bacana quando se tem amigos, namorado ou parentes ao lado – mas nunca me privei das emoções de conhecer lugares novos (ou curtir lugares já conhecidos) só porque me faltava companhia!
Também acabei realizando esta maravilhosa descoberta quando terminei o namoro. Confesso que foi um pouquinho difícil me acostumar com a idéia que, depois de 11 anos (isso mesmo – não é um erro de digitação) de relacionamento, eu podia cuidar de tudo – do planejamento à execução das minhas viagens (na verdade, da minha vida como um todo). Mas o fato é que conheci muita gente interessante e me permiti fazer coisas muito diferentes nessa minha incursão de auto-conhecimento.
E quando viajo sozinha (por coincidência ou não) acabo me planejando para praticar o mergulho por aí afora.
Acho que a atividade do mergulho autônomo, por si só, é uma viagem fantástica para conhecermos um pouco melhor a nós mesmos. E neste caso, mesmo que viaje com conhecidos, sempre tem aquele momento que é só você e o fundão do mar. É quando nos desligamos de tudo e todos, só para curtir um momento “a sós” com o oceano.
Acho fantástico!
A pausa no tempo destinada somente à admiração!!! O silêncio profundo e absoluto, o momento de paz no sentido literal da palavra (desses que raramente temos de verdade no nosso dia-a-dia).
Amo o mar! E sempre que posso, recorro a ele...

Aí vão algumas dicas de operadoras de mergulho para quem já curte (ou tiver interesse em curtir) essa viagem em águas brazucas:

Fernando de Noronha (PE)
Águas Claras - Resort Dive Center da PDIC
Website: http://www.aguasclaras-fn.com.br/
E-mail: info@aguasclaras-fn.com.br
Tel: (81) 3619 1225 / (81) 3619 1726

Arraial do Cabo (RJ)
Dive Point
Website: http://www.divepoint.com.br/
E-mail: divepoint@divepoint.com.br
Tel.: (21) 2239 5105

Abrolhos (BA)
Dive Tech
Website: http://www.divetech.com.br/
E-mail: divetech@ajato.com.br ou divetech@uol.com.br
Tel.: (11) 3813-6611
O Live Aboard no catamarã Horizonte Aberto é um espetáculo (principalmente de julho a novembro, quando as baleias Jubarte visitam o parque para procriar e cuidar de seus filhotes)!!!
E pra quem é de São Paulo e quiser curtir um "bate e volta" na Laje de Santos, esses também são os caras!

Inté!

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Viajar Sozinha

Aproveitando o post abaixo quero falar sobre minha recente experiência de viajar sozinha.
Nas minhas férias de 2006 viajei acompanhada do namorado da época, na ocasião meio que combinamos que as próximas férias seriam em NY.
As férias de 2007 estavam chegando só que o namorado não existia mais. O que fazer ? Viajar sozinha para NY sem falar inglês direito ou abrir mão das minhas férias?
Pensei, pensei e pensei.
Decidi então que ia enfrentar esse medo de viajar sozinha pra outro país.
Voltando um pouquinho atrás: Em 2006 quando viajei com o namorado, durante a viagem era totalmente dependente dele. Quando tinha que comprar alguma coisa eu pedia a ele para me ajudar ou comprar pra mim. Não fazia nada sozinha. Teve um dia em que ele foi assistir a um jogo de futebol e eu não quis (muito caro 80 euros) aí decidi que ia voltar para o hotel ( Como assim voltar para o hotel em plena Barcelona ???) . Voltei para o hotel e fiquei em pânico por estar sozinha, não consegui nem dormir. O mais engraçado disso tudo é que sou uma pessoa totalmente independente, mas nas viagens lá pra fora ficava em pânico de estar sozinha.
Voltando agora para a viagem de NY: Assim que decidi que ia sozinha, para criar mais coragem resolvi então aproveitar para realizar um sonho de adolescência: o tal intercâmbio.
Procurei uma agência e fechei tudo. A partir daí fui contando os dias para a viajem chegar sem pensar muito na questão de estar sozinha em NY tendo que me virar no inglês.
Na verdade o pânico era mais em falar inglês do que em estar sozinha. Minha professora de inglês (aqui no Brasil) diz que na verdade eu preciso de terapia para acreditar que falo inglês. Rs rs rs
O dia da viagem chegou e eu embarquei SOZINHA num avião rumo a NY.
Hoje posso dizer que essa foi uma das melhores experiências da minha vida e uma das minha melhores viagens.
É claro que de início eu me senti muito sozinha, mas isso foi mais em função da minha timidez e dificuldade no idioma.
Foi bom D+ fazer o que eu queria, na hora que eu queria, da maneira que eu queria sem estresse algum.
Eu decidia ia lá e fazia.
Então para as solteiras de plantão aí vai à dica: Por favor, não deixem de viajar por falta de companhia. Pra mim só existe um motivo aceitável para se abrir mão de uma viagem: a falta de dinheiro. Portanto meninas e meninos tendo dinheiro não deixem de viajar, pois esse é um dos melhores prazeres da vida.

Dica de leitura sobre o tema acima: Viaje Sozinha - Flavia Soares Julius e Maristela Du Valle

Dar (ou levar) um fora

Acabar um caso é um problema; todos costumam acabar mal, e a mulher que é deixada sofre -ah, como sofre. Se foi por outra, dá vontade de matar os dois, e se foi apenas para ficar só, é a maior ofensa que um homem pode fazer.Ninguém presta atenção aos pequenos sinais que anunciam o início do fim, e leva-se um susto quando ele acontece. E tem que ter aquela conversa -aquela- quando a vontade é de sumir sem dizer nada; se o namoro foi rápido e sem grande importância, menos paciência ainda para explicar o que não tem explicação. Ah, se fosse possível mandar um recado por um amigo ou falar tudo por telefone, bem rápido; mas ninguém entende que está sendo deixado, é preciso falar com todas as palavras. E ficou combinado que para terminar um relacionamento tem que haver um encontro para, olhos nos olhos, dizer a verdade -uma verdade, aliás, difícil de ser dita-, e que se resume em "não te quero mais"; tem pior?Dizer é difícil, e não existe mentira para que o outro não sofra muito.Se disser "estou trabalhando muito, não dá para sair à noite", ela vai sugerir que se vejam nos fins de semana. O argumento "mas nos fins de semana eu fico com meus filhos" não vai resolver, ela pode se oferecer para ir junto; ah, por que é tão difícil aceitar que alguém possa não nos querer mais?Talvez a solução seja dizer apenas um "olha, foi um engano, pensei que gostasse de você, mas não é bem assim, desculpe". Ela pode questionar o charme que você jogou no início, as palavras de amor que usou, as esperanças que deu; mas então, era tudo mentira? Bem, mentira não era, mas as coisas mudam, tudo muda; e a camiseta, a escova de cabelo, a escova de dentes, como é que faz? Propor ficarem amigos é de uma total indelicadeza, e se ela for prática -e é bom que seja-, o melhor que tem a fazer é dizer um tudo bem/tchau bem rápido, descer e pegar um táxi, torcendo para que passe um na hora, como nos filmes americanos.Depois que se recebe um fora -porque é um fora- não se deve procurar explicações: ah, no fundo ele teve medo de uma mulher tão maravilhosa; vai ver é carente, ou foi maltratado pela mãe na infância. Perca seu tempo, se não tiver nada de melhor a fazer, mas atenção: sofrer, nem pensar.E pense: nem todas as pessoas têm a obrigação de achar você bonita, interessante, sedutora, irresistível; a vida é assim, o mundo tem 6 bilhões de habitantes e é impossível que todos, absolutamente todos, sucumbam a seus encantos; lembre dos homens que você já dispensou, pense que a vida é assim mesmo, junta, separa, junta com outro, separa de novo, e guardar ódio no coração leva ao infarto.Ah, seria tão bom se tivesse dado certo; mas, já que não deu, vire a página e olhe em volta -quanta gente gostaria de conhecer você, já pensou nisso?E quando for possível, lembre dele apenas como alguém que, exatamente como você, também estava querendo encontrar uma pessoa legal para ficar junto; só que você não era a pessoa certa -acontece. E, do fundo do seu coração, deseje que ele acabe encontrando.Afinal, estamos todos no mesmo barco, procurando, todos, a mesma coisa: um pouco de felicidade.
FSP Cotidiano – Danuza Leão
20/11/05

domingo, 13 de janeiro de 2008

O que é essa moda de franja??

Eu não tenho nada contra as franjas, acho até bonito, mas definitivamente franja não é para qualquer uma.
Ontem a noite foi um festival de franjas totalmente SEM noção!!!
Eram vários os tipos: coroa de franjão para se achar mais nova (tiro TOTAL pela culatra), garota de franja que parecia que tinha 1KG de pasta pra franja ficar no lugar certo, franja que já precisava ser cortada novamente...
Além das franjas o que me impressionou foi à quantidade de mulher com roupa totalmente desapropriada para seu tipo físico.
Eu não sei o que está acontecendo com a mulherada. Será que é o desespero??
Eu não sou nenhuma super entendedora de moda, mas eu tenho plena consciência do que posso ou não usar.
Posso dar um conselho? Mulheres por favor, se olhem no espelho 20 vezes antes de sair de casa e se possível de vez em quando comprem uma revistinha dessas qualquer que fale de moda.
E quanto as franjas please, pensem 3, 4, 5 vezes antes de decidir por ela.

O que você pretende mudar para 2008?

Ainda dá tempo pra definir os planos deste (longo) ano que nos aguarda?? Acho que sim...
Às vezes páro pra pensar nas coisas que gostaria de fazer diferente do ano que passou... e acabo me dando conta que não são poucas.
Coisas bobas, como criar coragem para mudar o corte de cabelo; tomar vergonha na cara e incluir de verdade a academia na minha rotina (como faz lindamente a minha queridíssima amiga Fabiana); tentar (apesar da lista interminável de despesas) fazer sobrar um troquinho no final de todo mês; priorizar (de uma vez por todas) a colocação das cortinas do meu apartamento, afinal, ninguém merece não ter o mínimo da privacidade na sua própria casa (rs); planejar (aí é que mora toda a dificuldade) as férias fantásticas do final do ano; e o mais importante... ser feliz, independente de realizar qualquer dos itens citados acima!!!

sábado, 12 de janeiro de 2008

Cirque Du Soleil

Hoje o programa era sambinha no Horto com Empolga as 9, eis que aos 42 do segundo tempo surge um par de ingressos para o Cirque.
Alegria alegria !!!!!!

Desde que começou o Cirque a gente (Eu e Camila) ficou naquela de querer ir sem ter que gastar.

Nós trabalhamos em uma das empresas patrocinadoras do espetáculo. Vira e mexe rola uma enquete na intranet para sorteio de convite. Respondemos a primeira lá em dezembro, depois rolou uma segunda e nada, hoje a terceira e nada, até que surge um par de convite para sortear na minha área e a sortuda aqui ganhou.

Assim como o Saltimbanco, Alegria é um ESPETÁCULO!!!!!

É impressionante o poder do corpo daquelas pessoas.

Programa 10 e ainda por cima DE GRATIS.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Loira ou Morena????


Os cabelos de Cameron
Atriz revela que usou a mudança de cor dos cabelos como um truque para conhecer os rapazes
09/01 por Redação
Truques de beleza também servem para fazer “pesquisa de mercado”! Ao menos é o que garante Cameron Diaz. A atriz revelou para o programa “Inside The Actors Studio Show” que sua mudança de cor nos cabelos – ela circulou com um visual brunette no final de 2006 – foi uma espécie de teste. Cameron queria saber que tipo de homem se aproximaria de sua versão morena. O resultado? “Os rapazes eram mais sensíveis e mais interessantes do que os que preferiam o look loiro”. Ainda assim, terminada a “pesquisa”, Cameron voltou à sua realidade blondie no começo do ano passado.

Meu primeiro post

Meu Deus que surpresa!!!!!
Restrospectiva de hoje pela manhã: To indo “feliz da vida”para o trabalho (semana totalmente punk por lá), quando Camilinha me liga perguntando qual era meu e-mail particular, pois tinha algo para me mandar.
Lógico que a primeira coisa que eu fiz quando cheguei ao trabalho foi justamente olhar meu e-mail. Para minha surpresa o e-mail da Camila não era de uma super vaga de emprego (pensava eu que era isso) e sim de um convite para escrever junto com ela esse blog.
Liguei pra ela na hora para entender o que era aquela novidade e me acabei de rir.
Depois eu passei o dia todo contando as horas para chegar em casa e começar a postar no nosso blog.
Agora a pergunta que fico me fazendo: Qual será a finalidade desse blog? Qual será o tema principal? Ainda não tenho a resposta, pois teremos(eu e Camilinha) que fazer nossa reunião de pauta. Rs rs rs
Enquanto não respondo essa pergunta acho legal contar aqui como começou esse meu “vicio” de acompanhar o blog alheio.
Há mais ou menos uns dois anos atrás estava eu sem fazer nada no trabalho pesquisando no Google sobre a Capela Santa Inês, quando me deparo com o Blog da Flávia sobre gravidez e maternidade. Meu caso de amor com esse mundo dos blogs começou ali. De repente a Flávia e seu blog começaram a fazer parte do meu dia-a-dia e a minha rotina de acessar os e-mails particulares agora incluía a de acessar o blog da Flávia. As poucos fui conhecendo e me apaixonando por outros blogs como: o blog da Renata (Marinheira e depois o Pequeno Marujo), o blog pessoal da Flávia, o Colagem, o colorida vida e recentemente os blogs da Cláudia (Penso logo mudo de idéia) e da Cris (Hoje vou Assim e Para Francisco).
Hoje sou freqüentadora assídua do continho dessas pessoas e a sensação que tenho é que todas essas blogeiras são minhas amigas, pois conheço bastante sobre elas.
Camilinha ADOREI a surpresa e novidade e tenho certeza que vamos nos divertir tanto aqui quanto nos divertimos nas nossas saídas, viagens, cinemas de domingo ....

Inaugurando este blog recém criado!

Minha queridíssima amiga Danielle Martins - a criatura que me fez criar este espaço - vem me falando a algum tempo que anda viciada em blogs.
Pra falar a verdade, até esse exato momento, só havia navegado por essas bandas através de consultas mal sucedidas no google... E, sendo sincera mais uma vez, não entendia muito bem o propósito da ferramenta (de fato, uma completa ignorante no assunto).
Viajamos juntas no reveillon e mais uma vez estava ela, em Búzios, procurando sinal para conectar a plaquinha na internet e manter sua fidelidade aos 4 ou 5 blogs de leitura quase que diária.
Estiquei o olho e dei uma espiadinha enquanto ela lia um deles - e não é que passei a me interessar um pouquinho pelo assunto?
Hoje, enquanto participávamos do choppinho mensal da galera, mais uma vez estava ela falando sobre "seus" blogs. Ela comentou que uma de suas "blogueiras" (nem sei se é assim que se chama - com o tempo vou aprendendo...) favoritas tinha sido matéria de uma revista de grande circulação (e claro, ela comprou a revista para dar uma moral).
Passei a me interessar um pouquinho mais pelo tema. hehehehe
Cheguei em casa, entrei na internet e motivada pela minha grande amiga, resolvi criar esse espacinho!
Espero que amanhã ela entre nessa onda e dê o ar da graça por aqui também!
É isso aí Dani! Vai ter que mudar de lado de vez em quando - vai passar de apenas consumidora para consumidora E PROVEDORA de muitas histórias.
"Conto com a sua habitual colaboração!" rs

Inté!