Pages

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Focus changed

Ando alegre ultimamente, canto sem pudor, sem saber a letra. Me pego sorrindo de situações cotidianas sem saber porque. Cabeça de vento, distraída... zen.

Ao mesmo tempo convivo com uma angústia que toma conta do meu peito e às vezes dilacera. Saudade, medo da perda, da rejeição... não sei bem ao certo. Parece que a cabeça vai explodir com o turbilhão de pensamentos.

Sentimentos antagônicos e ao mesmo tempo complementares. Que fazem parte de algo muito maior, que chega sem avisar e vai ocupando os vazios dentro de mim. Uma vez que já está aqui dentro, o jeito é trancar todas as portas para nunca mais sair... às vezes escapa... às vezes, como filho pródigo, retorna... às vezes some pra nunca mais.

Não, eu não quero pensar nisso agora. Analizando melhor o contexto, vou deixar as portas abertas. Acho mesmo que ele quer ficar e se instalar por aqui... sem amarras, sem imposições.

Quero, necessito e conto com isso daqui por diante.

Estou convencida de que alguns (re) encontros acontecem e simplesmente acontecem... não necessitam de maiores explicações.

Comigo está tudo bem.

2 comentários:

railer disse...

o melhor a fazer é deixar rolar, deixar o moinho rodar conforme cai a água. tentar frear ou acelerar pode ser ruim.
go with the flow!

Lola disse...

There's nothing you can do that can't be done.
Nothing you can sing that can't be sung.
Nothing you can say but you can learn how to play the game
It's easy.
There's nothing you can make that can't be made.
No one you can save that can't be saved.
Nothing you can do but you can learn how to be you
in time - It's easy.

All you need is love, all you need is love,
All you need is love, love, love is all you need.